Meus amigos especiais

segunda-feira, 16 de julho de 2012





JESUS – O FILHO DE DEUS, UM HOMEM DE ORAÇÃO

A personalidade de Jesus

Quanto mais conhecemos uma pessoa, mais a amamos. Vamos saber um pouco sobre Jesus que é o Caminho, a Verdade e a Vida. Ele que nos amou até o fim e nos deixou o maior de todos os mandamentos.


Os evangelhos não dão uma descrição de Jesus de Nazaré, nem física nem moral. Os evangelhos falam sobre o que Jesus fez e disse, mas se lermos os evangelhos com atenção, nos encantaremos com a personalidade de Jesus mediante o que Ele diz e que Ele faz. Muitas pessoas ficaram admiradas quando encontraram Jesus.


Uma mulher disse assim a Jesus: "Bem-aventurada àquela que te trouxe no seio e te amamentou". Certamente que Jesus marcou as pessoas que Ele olhou. Os evangelistas, especialmente Marcos, falam frequentemente sobre o olhar de Jesus. Jesus olhou de modo penetrante para Simão quando ele foi apresentado a Jesus, pelo irmão. Ele olhou com misericórdia para o jovem rico. Olhou com simpatia para Zaqueu. Olhou com tristeza para os ricos que faziam a oferta no templo.


Uma pessoa fisicamente forte
Mesmo não sabendo nada sobre a constituição física de Jesus, de suas atividades, devemos chegar a conclusão que Ele era uma pessoa forte. Jesus viajou muito nos últimos três anos de sua vida pública. Muitas vezes ele dormia a céu aberto e comia o que a caridade do povo provesse. As várias pessoas doentes que o rodeavam, certamente que deixavam o Mestre cansado. De manhã cedo Jesus levantou-se para ir rezar: "De madrugada, no escuro da noite, Jesus saiu, retirando-se para um lugar deserto: ali Ele orava" (Mc 1, 35)

Sensível e inteligente

Jesus sabe ver a beleza da natureza. As parábolas que Jesus criou mostram sua capacidade de observação e a imaginação de poeta que ele tinha. Jesus disse que as flores têm as vestes mais lindas que a do rei Salomão. Jesus fala da galinha que cuida dos pintinhos debaixo de suas asas. Ele fala também do cisco que observamos no olho do nosso irmão e não vemos a trave que tem em nossos olhos. É certo que Jesus observava a vida do povo e a natureza de perto. Ele fala do agricultor que semeia o trigo, os pescadores que à beira do mar separam os peixes bons dos maus, o mercenário que não cuida das ovelhas e o pastor que vai buscar a ovelha perdida.


Um homem cheio de bondade
O que mais nos impressiona em Jesus é sua bondade, quando Ele encontra uma pessoa que está sofrendo... Ele está sempre pronto a ajudar. Ajudou a viúva de Nain (Lc 7, 13), chorou no túmulo do amigo Lázaro (Jo 11, 35). No Evangelho de Mateus lemos assim: "Ao anoitecer trouxeram-lhe numerosos endemoniados. Ele expulsou os espíritos pela palavra e curou todos os doentes, para que se cumprisse o que fora dito pelo Profeta Isaías: ´Foi Ele quem levou nossas enfermidades e carregou sobre si as nossas doenças" (Mt 8, 16)


 
Amigo fiel que serve

Os evangelistas João e Lucas falam da amizade que Jesus tinha com a família de Lázaro. "Ora, Jesus amava Marta e sua irmã e Lázaro" (Lc 11, 5). Quando Lázaro morreu, Jesus visitou as irmãs Marta e Maria para consolá-las e chorar a morte de Lázaro. São Lucas mostra muito bem quanto Maria respeitou e aceitou os conselhos e as palavras de Jesus.
Os evangelhos mostram também que Jesus era muito paciente com os discípulos e muito doce quando precisava corrigi-los.

Jesus chegou para servir e não para ser servido. Os discípulos João e Tiago queriam ficar um do lado direito e outro do lado esquerdo de Jesus no céu. Jesus respondeu assim: "Se alguém quer ser grande diante de vós, seja o servidor de vocês" (Mc 10, 43). A correção de Jesus era um grande ensinamento.


Duro na correção e ao mesmo tempo doce
Jesus tinha palavras duras contra algumas pessoas. Ele disse que era difícil para os ricos entrar no Reino de Deus (Mc 10, 23-27). Ele atacou a hipocrisia dos fariseus. Também era muito duro com as cidades que não se converteram (Mt 11, 20-24). Jesus chegou a falar com a liguagem dura até com a cidade de Jerusalém (Lc 19, 44). Jesus não aceita acordos que comprometam os seus princípios. Quando Pedro não aceitou que o mestre deveria sofrer e morrer, Jesus lhe disse assim: " Afaste-se! Para trás de mim satanás, pois teus intentos não são de Deus". Jesus chamou Pedro de tentador, porque ele não aceitou o projeto de Deus.



Jesus conhece bem o coração dos homens
"Ele sabia o que há no homem" (Jo 2, 25) Jesus sabia também que dos escolhidos um iria lhe trair. Jesus sabia ver o que tinha de bom nas pessoas, mesmo sendo essa pessoa pagã. Falando de um soldado pagão romano Jesus disse: "Em verdade eu vos digo: em ninguém de Israel encontrei tamanha fé". (Mt 8,10). Jesus às vezes usou palavras muito duras com as pessoas e com um chicote botou os comerciantes para fora do templo. Também acusaram Jesus de conviver com pessoas que a sociedade excluía (Mt 11, 19).


Grande bondade com os doentes e as crianças
Jesus mostrava sua bondade de modo especial com os doentes e pecadores. A multidão que caminhava atrás dele era, na sua maioria, pessoas pobres, escravizadas e sujeitas aos poderosos. Jesus mostrou misericórdia com eles "porque estavam exaustos e prostrados como ovelhas sem pastor" (Mt 9, 36). Jesus multiplicou os pães para saciar a fome da multidão. Mostrou um carinho especial para com os doentes, tanto que curou doentes no dia do sábado. Os fariseus discutiam com Jesus porque ele curava em dia de sábado "Quando desceu da montanha grandes multidões o seguiram. Eis que um leproso aproximou-se e, prostrando-se diante dele dizia: ´Senhor, se queres podes purificar-me´. Ele estendeu a mão, tocou nele e disse: ´quero, sê purificado´, e no mesmo instante ficou purificado de sua lepra" (Mt 8, 1-3)
Quando as mães apresentaram seus filhos a Jesus, ele os abençoava e reclamava com seus discípulos quando impediam as crianças de aproximar-se dele.


Cheio de compaixão com os pecadores e pobres

Jesus é misericordioso com os pecadores e doce com seu modo de tratá-los. Deixou que uma prostituta lavasse seus pés com suas lágrimas. Jesus disse que essa mulher sabia amar mais do que o fariseu que o convidou para sua casa (Lc 7). Ele perdoou uma adúltera (Jo 8). Entrou na casa de Mateus que era cobrador de impostos (Mt 9). Por que Jesus tratou os pecadores assim? Para Jesus o pecador não é uma pessoa que deve ser excluída, mas um doente que precisa de médico. O Mestre tinha palavras duras para com as pessoas que pensavam ser os justos: "eu vos declaro, os cobradores de impostos e as prostitutas vos precedem no Reino de Deus" (Mt 21, 31). Às vezes não deixavam tempo para que Jesus fizesse suas refeições. O único tempo que ele tinha para o descanso era à noite quando o povo voltava para casa.

Jesus sabe que tem uma missão a cumprir

Jesus sabe que tem o dever de terminar uma grande missão. Levar a todos os homens a Boa Nova da Salvação. A missão de Jesus é espiritual. Às vezes, os mesmos discípulos queriam ganhar o poder mediante a amizade de Jesus, mas Jesus ensinou que devemos buscar outras coisas, humildade, pobreza, espírito de serviço, de perdão, amor para com os inimigos, castidade.

Homem de oração

Jesus sai da sua solidão espiritual mediante a oração. Depois de um dia cheio de trabalho. Jesus deixa parte da noite para as orações. Também, quando estava trabalhando num modo misterioso ele ficou unido ao Pai (Mt 11, 25). Jesus falou com Deus de modo semelhante ao que os filhos falam com seus pais, Jesus chamou Deus de Abba, que significa "paizinho". Ninguém sabe o que Jesus dizia nas suas noites de orações, mas o Evangelho registou uma oração que Jesus disse ao Pai pouco antes de morrer. Jesus estava no Jardim das Oliveiras: "Caiu por terra e orou para que, se possível, esta hora passasse longe dele. Ele rezava: ´Abba! Pai! Tudo te é possível! Afasta de mim esse cálice! Entretanto, não o que eu quero, mas sim o que Tu queres!" (Mc 14, 36).


Homem livre e corajoso
Jesus vivia uma vida livre. Ele era livre de sua família, tanto que quando precisou sair de casa e disse que "o filho do homem não tem onde descansar". Era livre também de cada lei que atrapalhava a vida dos judeus com uma observância puramente exterior. Jesus disse, de modo muito claro, que não é almoçando sem lavar as mãos que cometemos o pecado: o pecado sai do coração do homem. Jesus era livre quando enfrentou os poderosos; alguns fariseus chegaram para avisar a Jesus que Herodes queria matá-lo e Jesus respondeu-lhes: "Ide e dizei a essa raposa: Eis que eu expulso demônio e realizo curas hoje e amanhã e no terceiro dia chego ao termo" (Lc 13, 32). Jesus não tinha medo de Herodes e nem das pessoas que queriam prejudicá-lo.
Jesus precisava de muita coragem, pois até os discípulos o abandonaram. Jesus tinha a coragem de dizer aos apóstolos: "Quereis vós também retirar-vos?" (Jo 6, 67). Jesus sabia que estava para morrer em Jerusalém (lc 13, 33). Jesus falou três vezes que estava para morrer. (Fonte: Livro "Comunidade Viva" - Paulinas)



 Filipenses, 2

1. Se me é possível, pois, alguma consolação em Cristo, algum caridoso estímulo, alguma comunhão no Espírito, alguma ternura e compaixão,
2. completai a minha alegria, permanecendo unidos. Tende um mesmo amor, uma só alma e os mesmos pensamentos.
3. Nada façais por espírito de partido ou vanglória, mas que a humildade vos ensine a considerar os outros superiores a vós mesmos.
4. Cada qual tenha em vista não os seus próprios interesses, e sim os dos outros.
5. Dedicai-vos mutuamente a estima que se deve em Cristo Jesus.
6. Sendo ele de condição divina, não se prevaleceu de sua igualdade com Deus,
7. mas aniquilou-se a si mesmo, assumindo a condição de escravo e assemelhando-se aos homens.
8. E, sendo exteriormente reconhecido como homem, humilhou-se ainda mais, tornando-se obediente até a morte, e morte de cruz.
9. Por isso Deus o exaltou soberanamente e lhe outorgou o nome que está acima de todos os nomes,
10. para que ao nome de Jesus se dobre todo joelho no céu, na terra e nos infernos.
11. E toda língua confesse, para a glória de Deus Pai, que Jesus Cristo é Senhor.




Um comentário:

  1. Um post maravilhoso vim dos Blogueiros que pensam e ja fiquei por aqui

    ResponderExcluir